Semblant lançando novo EP “Behind the Mask”

A banda curitibana SEMBLANT está as vésperas de lançar seu novo trabalho no mercado – o EP “Behind the Mask“. Além das 4 músicas inéditas a banda trás outras novidades: Mudanças no line-up da banda e a adição de mais um guitarrista.

 

A atual formação conta agora com: Mizuho Lin (vocal feminino), Sérgio Mazul (vocal masculino), Leonardo Rivabem (baixo), J. Augusto (teclado), Sol Perez (guitarra), Juliano Ribeiro (guitarra) e Rhandu Lopez (bateria).

 

semblant

 

Outra coisa bem interessante sobre o novo EP, é a mística que ele segue, assim com a própria banda: A data prevista para o lançamento é dia 11/11/11 e o nome de uma das músicas é “11:11 – The door is open“, o que poderiamos dizer no mínimo um tanto quanto inusitado e repleto de mistério.

 

O ROCK EXPRESS foi conferir um pouco mais sobre os detalhes deste lançamento com uma entrevista com o vocalista Sergio Mazul. Confira!

 

Por Edu Lawless

ROCK EXPRESSPorque vcs escolheram a data de 11/11/11 para o lançamento deste novo EP “Behind the Mask”?

 

Sergio Mazul -Bom, estamos em uma nova fase da banda e nutro a mesma opinião com os outros dois remanescentes de nossa antiga formação (o tecladista J. Augusto e o baixista Leonardo Rivabem): pegamos o que havia de mais maduro e melhor nas nossas composições antigas, evoluímos e chegamos a sonoridade atual. Para apresentar uma nova vocalista, um novo baterista e uma nova dupla de guitarristas (somos em 7, agora), precisávamos não apenas de um material que julgássemos impactante, mas uma data marcante. 11/11/11: quando isso se repetirá? Sem falar no propósito, que envolve algo extremamente profundo. O 11:11 é uma experiência pessoal minha, que vivo há anos e inclusive pessoas em comum comigo já testemunharam isso pessoalmente.

 

ROCK EXPRESSQual é o conceito místíco por trás da nova música “11:11 The door is Open”?

 

Sergio Mazul -Ótimo, essa é a pergunta que achei que viria, hora ou outra, rs. Eu sempre olhei para o relógio às 11:11, sem coincidências com outros números durante o dia. Eis que isso se intensificou, com o passar dos anos: placas de carro à minha frente com o final 1111, números de endereço, hora em que e-mails com documentos ou boletos eram impressos ou me foram enviados, contas de restaurante. Eu sentia que não era mera coincidência e realmente, não era: o 11:11 é um código universal que algumas pessoas vêem, ligado a evolução espiritual e cósmica, a um momento em que você tem acesso ao seu EU superior e a abertura de um portal para uma nova era. É complexo para explicar, mas existem diversas teorias que envolvem este número sendo a maioria, ligadas ao fim da era atual e começo de outra em um patamar mais elevado. Algumas falam inclusive de apocalipse, caos e de um décimo primeiro portal se abrindo. O filme “11.11.11”, que sairá na mesma data e é dirigido pelo mesmo cara de “Jogos Mortais 2, 3 e 4” fala sobre uma dessas teorias tenebrosas acerca do número. Em nossa música, abre-se uma série de possibilidades arcanas, místicas ou proféticas acerca da combinação de números em questão.

 

ROCK EXPRESSVocês não pensaram em usar a música “11:11 – The Door is Open” como título do EP, já que se trata do lançamento do mesmo em uma data Mística também?

 

Sergio Mazul -Na verdade, sim! Mas seria muito óbvio. E essa música também é decorrente do significado por trás do título “Behind the Mask”: acreditamos que a partir desta data, muito de verdades até então encobertas pela religião ou cegueira banal da humanidade atual, será revelado. É a verdade por trás da máscara, utilizada até então. O título representa um link direto com o nome da banda também; afinal, sua verdadeira personalidade aparece vez ou outra, a máscara um dia sempre cairá. E claro, consideramos nossa fase atual uma revelação, mostra um lado que só pudemos explorar hoje e que até então parecia contido, escondido.

 

ROCK EXPRESSComo está sendo o entrosamento com a nova formação? O que muda no conceito musical da banda?

 

Sergio Mazul -Está simplesmente fenomenal. Entramos em absoluta sinergia e nos damos muito bem dentro e fora dos estúdios. Conseguimos a façanha de reunir 7 pessoas harmoniosas, que sabem se relacionar muito bem, que se respeitam mutuamente e que possuem amizade e intimidade entre si suficiente para manter um excelente convívio. Uma banda é como uma família e temos um convívio que parece a meta de qualquer terapia familiar. Sobre o conceito musical, nada muda. Ao contrário do que muito foi dito, nunca falamos apenas sobre vampirismo: nossas letras sempre foram fantasmagóricas, místicas e traziam reflexões sobre a vida e a morte. Apenas tivemos inspiração neste tema em algumas composições e acredito que ainda manteremos isso, na mesma dosagem comedida. Agora, os horizontes aumentaram, temos mais passagens extremas, passagens atmosféricas mais soturnas, a versatilidade vocal continuará cada vez mais presente para ambas as vozes da banda, passagens melódicas, passagens progressivas, momentos de cada instrumento e refrões impactantes. Me orgulho em dizer que temos identidade própria e hoje, sabemos ainda mais e melhor lidar com ela. Quem já era fã da banda, por exemplo, acredito que será ainda mais, agora.

 

ROCK EXPRESSComo vcs conceituariam as 4 novas músicas em comparação com o primeiro álbum da banda?

 

Sergio Mazul -Mais pesadas, mais variadas, mais impactantes, mais obscuras e mais profundas. Uma evolução natural do “Last Night of Mortality”, que não frustrará ninguém que curtiu os trabalhos anteriores; muito pelo contrário, para todos será uma evolução bem latente. Estou certo de que “Behind the Mask”, “Beautiful Carnage”, “The Undead” e “11:11 – The Door is Open” serão em conjunto um ótimo mestre de cerimônias para introduzir a todos a Semblant que nos tornamos.

 

ROCK EXPRESSCom o lançamento do novo EP, qual a previsão de datas de shows, principalmente SP?

 

Sergio Mazul – Temos alguns convites e algumas oportunidades; estamos em contato frequente com produtores e temos grandes amigos no cenário de SP, como as bandas Holiness e Ravenland, grandes destaques do cenário nacional. Esperamos poder concretizar algo logo mas até então, estamos apenas discutindo possibilidades. Estamos disponíveis para convites e dispostos a qualquer boa oportunidade, adoramos tocar em SP. É sempre memorável e o público é ótimo!


Leia também:


Compartilhe

Comente