Banda Pastore libera track list comentado

A banda Pastore liberou o track list de seu novo álbum, The End Of Our Flames, a ser lançado ainda no primeiro semestre de 2012.

Confira abaixo as faixas com os comentários do baixista Aléxis Gallucci e do guitarrista Raphael Gazal:

1. Brutal Storm – Faixa de trabalho do novo CD – Rápida, poderosa e melódica. Um refrão marcante, com influência de power metal. A letra é baseada na teoria do HAARP, máquina que dizem ser capaz de “fabricar” desastres naturais para servir a alguns interesses, contribuindo assim ainda mais para a degradação do ser humano. Posteriormente essa faixa, irá se transformar em um clipe.

2. The End Of Our Flames – Faixa-título do novo álbum. Tipo de música de abertura de shows. A guitarra é mais baseada no thrash. Destaque para o trabalho de bumbo e baixo. Ponte e refrão mais cadenciados. A letra nos alerta do quanto estamos deixando de viver a vida em detrimento de um mundo cada vez mais acelerado e superficial. E o quanto estamos ficando indiferentes aos problemas do mundo. Um alerta para que possamos dar valor às coisas mais simples da vida.

3. Night And Day – A Introdução já mostra todo o trabalho de bateria de Fabio Buitvidas. Possui uma melodia vocal marcante, contrastando com o peso das guitarras. O solo é memorável, com muito feeling. A letra fala sobre um homem em sua cela, esperando a sua execução. Refletindo sobre como desperdiçou sua vida e lamentando viver dia e noite a mesma rotina.

4. Fools – A música começa com ênfase no baixo e bateria. Música muito forte, com influências de hard/heavy. O destaque fica por conta da melodia vocal e letra simples, com um refrão forte. O tema fala sobre o quanto os políticos corruptos zombam da sociedade, roubando e prejudicando a mesma sem punição.

5. Empty World – Essa faixa foi uma das primeiras músicas composta por Raphael Gazal para o novo álbum. Tem uma introdução de bateria e guitarra bastante marcante que leva a música a um metal tradicional. Possui um vocal com bastante drive o que deixou a faixa mais pesada. A letra fala de esperança. Fala que não podemos deixar de acreditar na humanidade e que devemos procurar forças em nós mesmos para lutar por isso.

6. Liar – Tem um início que remete ao thrash oitentista. O verso mantém a mesma pegada com uma ponte com vocais dobrados. O refrão remete à bandas como Anthrax e Annihilator. O solo é, talvez, a parte mais progressiva do CD. A letra fala de pessoas aproveitadoras, que enganam os outros para tirar vantagem e explorar os mais fracos e o quanto a mentira revela as fraquezas do homem.

7. When The Sunrises – Uma balada pesada com um refrão que se destaca no CD inteiro. O vocal se inspira em Queensrÿche. A mensagem aqui proposta é a realidade do mundo sendo revelada através de um sonho. É uma mensagem de esperança para que todos, um dia, acordem para o que está acontecendo no mundo.

8. Envy – Uma das músicas mais pesadas do CD. Afinação baixa, com um bom trabalho entre guitarra, baixo e bateria. Voz agressiva com um refrão para ser cantado por todos ao vivo. Essa faixa flerta um pouco com o New Metal. A música abre bastante espaço para o baixo, que tem um solo com bastante clima, possuíitambém teclados e coros. Fala sobre o quanto a inveja envenena o ser humano e o deixa cego, egoísta e completamente alheio ao outro. Esse desejo, que é um dos pecados capitais, é fruto do mundo cada vez mais competitivo, onde você tem que ser o melhor em tudo.

9. Unreal Messages – Uma música que se destaca por ser diferente das demais. Remete o ouvinte à Black Sabbath/Dio com guitarras e bateria cadênciadas e um baixo pesado. A linha de voz funciona como parte da harmonia, dando uma dinâmica maior para a música. A letra nos fala sobre a manipulação de massa pela mídia que não é assunto recente, mas que é sempre atual. Nos fala o quanto isso é feito de forma subliminar nos transformando em “zumbis conscientes”, nos transformando em seres sem liberdade de escolha.

10. Bring To Me Peace – É um contraste com a faixa anterior. Nela o baixo e a bateria mostram total entrosamento com um vocal agressivo e “sujo”. Se destaca o solo agressivo e a base do solo bastante envolvente. A letra fala da nossa indignação com a violência no mundo. De como a mídia, como um todo, mostra a violência de forma banalizada na televisão, nos filmes e etc.

11. The World Is Falling – Música que sofre influência da carreira solo de Bruce Dickinson. Com guitarras bem trabalhadas é a música escolhida pra fechar o CD. Possuí um clima tenso, que combina com a letra, que nos mostra o quanto todos os problemas que apresentamos nas outras músicas, estão fazendo com que o mundo se torne cada vez mais decadente. Fala de como nossas ações, ambições, egoísmo e falta de consciência crítica nos transformam em seres sem emoção, sem compaixão e sem vontade de deixar um mundo melhor de legado para nossos filhos.




Compartilhe

Comente