Krow – Traces of the Trade

A banda de Death Metal oriunda da cidade de Uberlândia/MG, Krow, foi formada em 2006 e já conta com turnês pelo Brasil, Chile e Europa.

 

Nesse ano de 2012, a banda lançou o seu segundo álbum intitulado “Traces of the Trade” e investiram pesadamente tanto na qualidade musical, quanto na apresentação do produto final, que conta com a capa feita por Costin Chiorianu (Grave, Dark Throne e Running Wild), case luxuoso e ainda um slipcase.

 

Realmente é para se aplaudir a banda Krow, pois para o lançamento do álbum Traces of the Trade, além de abrirem o show da banda de Black Metal Dimmu Borgir no Chile, o que já é uma grandiosa realização, eles ainda foram os convidados de honra pela produtora do evento para fazerem o lançamento do seu novo álbum nesse show. Acredito que já da para ter uma ideia do poderio musical dessa banda.

 

Composta por Humberto Costa no baixo, Guilherme Miranda na guitarra/vocais, Jhoka Ribeiro na bateria e Lucas The Carcass na guitarra, nesse álbum a banda explora uma temática que faz parte da história brasileira: A Escravatura. Eles abordam temas como a travessia em navios negreiros na música homônima “Traces of the Trade”, o ódio dos escravos perante os seus torturadores em “Retaliated”, música essa que conta com a participação especial do baixista Alvaro Lillo das bandas Watain e Undercroft, e as consequências de um enraizamento do preconceito racial que a escravatura forçou na cultura brasileira e que repercutem até nos dias atuais, basta olhar em suas condições sociais, como foi descrito em “Framework of Violence”.

 

Logo na primeira música “Eidolon”, podemos perceber o entrosamento entre os guitarristas, baixista e o baterista, criando cavalgadas infernais e ultra velozes, totalmente sincronizadas com o bumbo, que de repente e com muito bom gosto nos levam a levadas Thrash Metal. Os solos seguem uma linha rápida, com muita técnica e criatividade. O vocal de Guilherme Miranda realmente se destaca com seu gutural forte, grave e com as pronúncias bem claras. No final dessa música, há uma queda no ritmo e fica clara a deixa da banda para a galera bangear e muito!

 

Outro ponto forte a se destacar na banda é trabalho brilhante que o baterista Jhoka faz nesse álbum com milhares de viradas interessantíssimas e levadas death/thrash, as quais se notam uma grande influência de grandes bateristas brasileiros, tais como Max Kolesne (Krisiun) e Amilcar Christófaro (Torture Squad).

 

Perante a tantas músicas perfeitas, é difícil de escolher uma para se destacar, porém a que simplesmente quebra tudo é a “Despair”, nela eles começam com um riff inspirado no grandioso Morbid Angel, com uma levada de “blast beats” que simplesmente é de ficar sem fôlego e tudo isso mostrando muita personalidade.

 

O álbum “Traces of the Trade” tem tudo para se tornar um clássico do Death Metal nacional. Corram para garantir a sua cópia!

 
Tracklist:
01. Eidolon
02. Traces of the Trade
03. Outbreak of a Maniac
04. Framework of Violence
05. Endless Lashings
06. Hazardouls Punishiment
07. March of Vendetta
08. Retaliated
09. Despair
10. Slaughter of the Gods
11. System Unfolds

 

Por Klemer Santiago

Leia também:


Klemer Santiago

Heavy Metal Breakdown!

Compartilhe

Comente