Entrevista exclusiva com a Banda Zombie Cookbook.

Zombie  Cookbook é uma banda de Joinville e em suas entranhas predominam o Death Metal, Carne humana, Rituais Zombies e Podreiras em geral“. Basicamente é assim que os próprios membros da banda se auto-denominam.

 

Composta por Dr. Stink nos vocais, Horace Bones e Guinea Pig nas guitarras, Hellsouldier no baixo e Dr Freudstein na batera a banda trás uma proposta bem diferenciada, associando o Death Metal ao cultuado cenário das histórias Zombies. prestes a lançar seu novo álbum “Outside The Grave“,  o ROCK EXPRESS teve a oportunidade de uma entrevista além dos túmulos.

 

Por Papinha

 

Rock Express – De onde surgiu a idéia do nome Zombie Cookbook?

Horace Bones – Essa tematica zumbi/horror já estava formada no embrião dentro de um bode preto, só faltava um nome mesmo para a banda nascer. Na verdade acompanho há algum tempo a arte do francês Nico Claux, ele sempre faz coisas relacionadas a serial killers, escatologias e vi no myspace dele o lançamento de um livro chamado cannibal cookbook. Deu aquele estalo, Zombie Cookbook, é o nome perfeito.

 

RE – Já há alguns anos a temática Zombie vem sendo usado cada vez mais todo o mercado, com filmes, seriados. A formação da banda veio deste gosto comum entre os integrantes? Como associar o isso ao Thrash e Death Metal?

Horace Bones – Zumbi é underground, mesmo em superproduções ele é o monstro mais barato de se fazer, não paga royalties para ninguém, coloca uns trapos, sangue e pitadas de carne podre e pode seguir em frente. Eu particularmente gosto desde pequeno de filmes de terror em especial de zumbis, acabou fazendo parte das minhas influências… E Pelos zumbis serem underground tem tudo a ver com o metal, só colocamos todas estas coisas juntas.

Dr. Stinky – Pois é, acho que essa seria a nossa “receita” a misturança dessa cacalhada toda, tudo bem dosado pra que tenhamos um resultado final bem sujo e nauseante.

 

RE – A banda explora muito o tema Zombie, alias com uma criatividade incrível! Inclusive no Álbum “Outside the Grave” o encarte era uma espécie de Gibi. Contem um pouco sobre isso, de onde vem toda essa vertente criativa?

Dr. Stinky – Olha… a ideia veio do mesmo buraco de onde viemos com toda essa sujeirada encrostada na nossa pele e no nosso pensamento, Terror, Gore, Quadrinhos, Filmes, Animações, Publicações, Zumbis, Death Metal, blablabla.

O Cinetrash já trouxe alguma coisa disso, esse link com o revival dos quadrinhos, mas nele usamos coisas prontas sabe? No Outside resolvemos fazer algo um pouco diferente, para contar um pouco da nossa sofrida história, desde quando éramos vivos e fomos mortos, e ressuscitamos pra atormentar todos com muito sangue e Dead Metal.

Para a concepção do bagulho contamos com o trabalho do nosso amigo Charles que dirigiu como seria a concepção da capa, encarte, fizemos vários story boards, tiramos fotografias para que ele pudesse nos usar como base para as ilustrações, etc. etc. etc.

 

RE – Ainda falando sobre o álbum “Outside the Grave”, a capa causou um pouco de polemica quando foi divulgada, tanto é que solicitaram que ela fosse mudada. Qual foi o grande problema?

Guinea Pig – Pois é… Tivemos um certo problema com ela. Alteramos algumas coisas e colocamos um selo de faixa etária para que o público não se assustasse. Crianças, Adolescentes, Cardíacos, etc. O que importa é que o CD está saindo e do jeito que queríamos.

 

RE – Vocês ainda sofrem com essas criticas sobre a capa do álbum, ou entende que isso foi interessante para a ‘divulgação’ da banda na cena metal?

Dr. Stinky – Bem… Há os dois lados da coisa, sempre haverá né. Algumas pessoas acharam absurdo o que foi feito, outros acharam que valorizou nosso trabalho. Nós, independente disto ou daquilo, sempre levamos como algo construtivo, algo que nos dará mais estrutura para todas as coisas que venham pela frente. É basicamente isso. O CD está saindo por bem ou por mal.

Hellsoldier – Eu acho que foi bom, assim a mãe nem abre o encarte pra não ver o que tem dentro. hahahahaha

 

RE – A cultura Zombie esta proliferando tanto que dezenas de cidade brasileira realizam o “Zombie Walk”. O que vocês acham disso e vocês já tiveram a oportunidade de participar de alguma delas?

Horace Bones – No Zombie Walk você encontra um festival de criatividade e muita imaginação e também falta de criatividade e falta de imaginação… Nada mais lindo do que pessoas cobertas de sangue e podridão andando pelas ruas amedrontando e enojando a cidade. Será uma visão do fim do mundo? Muito massa, Joinville está caminhando para o seu terceiro Zombie Walk e já participei dos 2 anteriores.

Dr. Stinky – Eu estive no último, o primeiro não pude acompanhar, neste ano queremos que dê tudo certo novamente. Ano passado deu bastante gente e esperamos que cresça cada vez mais.

 

RE – Vocês tem ideia de levar, visualmente falando, essa cultura Zombie para cima do palco durante as apresentações, criando uma espécie de Rock Horror Show algo como, por exemplo, Alice Cooper faz?

Horace Bones – Com certeza, fazemos isso de forma bem experimental ainda, mas estamos caminhando para melhorar cada vez mais, mais elementos de palco, quem sabe mais teatral mesmo… Já começamos e agora é só evoluir a idéia…

Dr. Freudstein – Este é um negócio que estamos investindo, vamos ter algo mais concreto agora no show de lançamento do CD. Acho que uma das coisas que nos impede agora de estarmos com a parte de palco 100%, que nós digamos “ohh mas que maravilha de cenário de palco” é a falta de organização (culpa 100% nossa) e a falta de investimento.

 

RE – Para finalizar a entrevista, deixem uma receita inédita e exclusiva para os fãs do Zoombie Cookbook. 

Dr. Stinky – Bom… a primeira receita é que no dia 10/11 estejam todos em Joinville para prestigiar o show de lançamento do Outside the Grave. Vai ser do caralho, estamos preparando um show bem especial.

Horace Bones – Outra receita…  logo nosso site estará pronto. Lá vamos disponibilizar informações, links com redes sociais e outras coisas putrefatas.

Guinea Pig – Então é isso. Aguardem as putrid News.

 

RE – Obrigado por esta entrevista para o Rock Express.

Hellsoldier – Nós é que agradecemos pelo contato e pelo apoio de vocês para com estes pobres morimbundos.

Dr. Freudstein – É isso ae…. Dead Metal!!!

Dr. Stinky – Ah…. uma bela receita também é acessar o Rock Express… hehehehe. É isso aí… Obrigadão pelo espaço e pela atenção conosco.

Horace Bones – Obrigado e até a próxima!

Guinea Pig – See ya… dead or undead!

 

Agradecemos a Assessoria de Imprensa Metal Media pelo suporte na entrevista

Leia também:


Papinha

Long Live Rock 'n' Roll

Compartilhe

Comente