The Quireboys em São Paulo – Live, 08 de Dezembro

Provavelmente um dos pontos altos da vida de um ser humano é chegar aos 18 anos, quando a maioridade vem com a maturidade e a sensação da independência dos atos e regras. Surge então a pergunta de como devemos celebrar os 18 anos de um dos mais tradicionais bares de Rock da capital paulistana cujos atos e regras já dão a sensação de independência a tanto tempo?

É justamente o que o mês de Dezembro vem nos trazer com as comemorações do 18º. Aniversário do Bar Manifesto e uma programação de show que não poderia deixar de ter um dos mais tradicionais estilos cultuados no Bar com o Hard Rock da banda Britânica que obteve grande sucesso na década de 80, The Quireboys.

Por Edu Lawless

Também muito conhecido nos Estados Unidos como The London Quireboys, a banda liderada pelo vocalista Spike, único membro da formação original, chegou ao Brasil pela segunda vez a quase exatos dois anos da sua primeira passagem pelo mesmo palco do Manifesto.

DSC_0909

O relativo atraso para abertura da casa e consequentemente início do show, devido a viagem da Argentina para o Brasil no mesmo dia, que refletiu na programação da passagem de som, foi praticamente irrelevante quando o público ouvir soar a primeira música Tramps and Thives com um som impecável e muito bem equalizado, onde podia se ouvir nitidamente cada um dos instrumentos em perfeita harmonia.

DSC_0804

A mistura da voz rasgada e rouca de Spike em contraposição as fortes influencias do Blues e o som do piano muito bem executado pelo tecladista Keith Weir formava uma forte referencia com a banda americana Cinderella.

A harmonização dos guitarristas Guy Griffin e Paul Guerin, bem suportados pelo baixista Dave Boyce e pelo baterista Matt Goom também faziam toda a diferença.

Spike por sua vez mostrava uma grande simpatia com o público e interagia o tempo todo, vezes brindando com as inseparáveis garrafas de cervejas, dançando tempo todo e chegando até mesmo a pedir durante o show uma cerveja para os bartenders da casa.

Com um setlist que remontou principalmente os grandes clássicos do primeiro álbum da banda, os pontos altos ficaram para as músicas White Trash Blues,This is Rock’n’Roll, Hey You  e o mais famoso clássico da banda 7 O’Clock que foi entoado por todos presentes, encerrando a primeira parte do espetáculo.

DSC_0861

A banda retornou para o bis ao som de I Don’t Love You Anymore e enquanto todos os músicos já encontravam-se no palco, o vocalista Spike ainda se demorou a voltar, muito provavelmente pela necessidade de esvaziar a quantidade de cerveja ingerida!

Fato que algumas bandas acabam ‘cortando’ algumas músicas de seu setlist, ou em outras vezes acabam fazendo certo lobby para com o público dizendo cantar mais uma canção (mesmo quando ela encontra-se no setlist); mas quando vemos uma banda adicionando uma música a mais a todo repertório programado, temos a nítida certeza de que aquele foi um grande show, não somente para o público, como também para os próprios músicos.

E foi exatamente o que aconteceu quando logo após tocar I Love This Dirty Town a banda emendou Sex Party para delírio geral da galera presente. O vocalista Spike se despediu do público e deixou o palco, mas não sem antes levar consigo duas garrafas de cerveja para o camarim!

Fim de espetáculo com um presente mais do que especial para o público Hard Rock paulistano que pode ver de perto e com uma qualidade de som impecável está banda que acabou talvez sendo ofuscada, ou de certa forma injustiçada, por não ser parte integrante da cena Hard Rock de LA na década de 80.

Setlist

DSC_0882

Tramps and Thieves

There She Goes Again

Misled

Too Much of a Good Thing

Roses & Rings

White Trash Blues

Whippin’ Boy

Lorraine Lorraine

Mona Lisa Smiled

This Is Rock n’ Roll

Hey You

Mother Mary

Sweet Mary Ann

7 O’Clock

I Don´t Love You Anymore

I Love This Dirty Town

Sex Party

Galeria de Fotos

Agradecimento ao Bar Manifesto pela realização do espetáculo e suporte a todo o evento.

Leia também:


Compartilhe

Comente


  • http://www.facebook.com/felipe.donadelli Felipe Donadelli

    Nossa, que merda!
    Nem sabia que ia ter show deles no ano passado aqui no Brasil! =(

    Uma das melhores bandas que eu já ouvi, e pelo release, foi realmente do caralho! Set List recheado de sonzeiras…
    Quando eles vierem de novo (se vierem) não vou perder, e vou levar uma plaquinha pedindo para eles não esquecerem de tocar ‘Louder’, hahahahaha!

    Ótimo texto!