Nightwish em São Paulo – Live, 12 de Dezembro

A data era mística, 12.12.12 (ou muitos assim a consideraram). A banda envolta a misteriosas polêmicas. Em meios as suposições da proximidade do fim do mundo, somem todos os fatos e imaginem uma Tour que leva o publico a transcender a realidade sob as notas do Metal Sinfônico.

 

E foram exatamente essas nuances perfeitas que marcaram definitivamente o último grande espetáculo do ano na cidade de São Paulo, com uma das maiores bandas de Metal Sinfônico do mundo, o Nightwish, trazendo a tão aclamada – e também conturbada – Imaginaerum Tour como um grande presente de Natal antecipado para os fãs que tomavam o Credicard Hall; presente este embrulhado de uma forma brilhante pelos vocais perfeitos da belíssima Floor Jansen.

 

Por Edu Lawless e Dani Gunther

 

Tendo conquistado de forma fenomenal uma legião de fãs desde que surgiu em 96, pelo seu estilo diferenciado e principalmente pelos vocais fortes e imponentes de Tarja Turunen, a banda conseguiu retomar parte dos antigos fãs fieis a Tarja quando anunciou no início de Outubro deste ano a excepcional vocalista Floor Jansen (ex- After Forever, ReVamp) para a sequencia da Tour, o que de certa forma criou grande expectativa de ver ao vivo a nova química do Nightwish.

 

A abertura do espetáculo ficou por conta da banda gaúcha Tierramystica com seu estilo em uma mistura de Folk Metal com fortes influências andinas.

 

No palco a banda formada por Gui Antonioli nos vocais, Fabiano Muller e Alexandre Tellini nas guitarras e violões, Rafael Martinelli no baixo, Luciano Thumé nos teclados, Duca Gomes na bateria, o multi-instrumentista Ricardo Chileno e ainda contando com a participação do flautista Ademar Farinha do grupo Tarancón, mostrou muita personalidade diante do público presente, apresentando um repertório baseado no seu primeiro álbum A New Horizon e ainda para apresentar duas músicas do vindouro álbum que virá em 2013. 

  

As cortinas se fecharam para que o palco e todo o cenário de Imaginaerum fosse preparado criando uma grande expectativa e ansiedade no público, principalmente pelo ligeiro atraso que houve, muito em decorrência da propria produção em função do caótico trânsito que havia pela região do Morumbi devido a final da Copa Sul-Americana.

 

O Nightwish veio ao palco por volta das 22h20 liderados pelo tecladista e mentor da banda Tuomas Holopainen, acompanhado por Emppu Vuorinen na guitarra, Marco Heitala no baixo, Jukka Nevalainen na bateria, abrindo o espetáculo com o Storytime – primeiro single de Imaginaerum. O soar dos vocais de Floor Jansen deram o cartão de visita do que esperar do show e da energia do público, que foi ao delírio quando a vocalista pisou no palco.

 

DSC_0052

Particularmente para fãs de Floor, ver ela voltar aos palcos paulistanos praticamente  exato 1 ano desde sua última apresentação junto a super MaYan, foi fantástico, já que aquela data em 2011 marcou seu primeiro show após superar um grave crise médica que perdurou por quase 6 meses.

DSC_0956

Após toda euforia e as ótimas  Dark Chest of Wonder e Wish I Had an Angel onde o público pode comparar a sonoridade entre os vocais originais de Tarja com os de Jansen, veio ao palco o ‘sexto’ integrante da banda, Troy Donockley entoando sua gaita irlandesa em Amarant. Alias a sonoridade da gaita deu o tom de uma grande festa Folk e podia se ver alguns grupos no Credicard Hall, com a galera dançando e pulando incansavelmente.

 

Floor parecia muito a vontade no palco, como se o lugar sempre tivesse sido dela, e além de contemplar o público com sua beleza e vocais impecáveis, também agitava, ‘bangeava‘ e dançava o tempo todo, mostrando um carisma fantástico. Chega a ser impressionante quão cativante é sua presença de palco e que parece hipnotizar o público, sendo até díficil deviar o olhar dela um segundo sequer.

 

Logo após a conhecida e aclamada Nemo, Floor Jansen deixou o palco ovacionada para a instrumental Last of the Wilds, retornando em seguida para o delírio do público com dois clássicos da banda Wishmaster e Eve Dream.

DSC_0328

Como de praxe, a ‘cereja do bolo’ acaba sempre ficando mais para o final e ela veio com a longa, porém incansável Ghost Love Score que mostrou, principalmente aos fãs mais radicais de Tarja, que Floor Jansen é sem dúvida alguma a substituta perfeita para os vocais da banda e que dessa forma reconquistem os antigos fãs.

 

A toada final do espetáculo veio com duas das últimas faixas do álbum Imaginaerum – Song of Myself e Last Ride of the Day – que pelo próprio título, não poderia ser mais apropriada para fechar o dia e o último grande show de 2012 em um dia tão místico.

 DSC_0150

Após o show, fomos questionados em uma escolha entre Anette e Floor e a resposta mais do que espontânea veio com uma nova indagação onde a questão seria “Tarja ou Floor?” e em uma opnião pessoal, até mesmo pela postura mas Metal sobre o palco, Floor tem tudo para ofuscar devinitivamente o passado de Tarja – para a alegria de Tuomas.

 

Foi um show empolgante e com muita imaginação onde podemos salivar um sequencia duradoura para vermos toda química representada por Floor nos vocais em futuros e grandiosos projetos.

 

Setlist

DSC_07821. Storytime 

2. Dark Chest of Wonders 

3. Wish I Had an Angel 

4. Amaranth 

5. Scaretale 

6. I Want My Tears Back 

7. The Crow, the Owl and the Dove 

8. Nemo 

9. Last of the Wilds 

10. Wishmaster 

11. Ever Dream 

12. Over the Hills and Far Away (Gary Moore cover)

13. Ghost Love Score 

14. Song of Myself 

15. Last Ride of the Day

 

Galeria de Fotos

Agradecimentos à Produtora Dynamo pela realização do evento, à The Ultimate Music Press pela assessoria e suporte ao espetáculo e ao Credicard Hall e a T4F por suportar o show.

Leia também:


Compartilhe

Comente


  • http://www.facebook.com/marcosperrin Marcos Perrin

    è, ela tem uma voz maravilhosa, o show FANTASTICO. Valeu apena e muito ir